quinta-feira, 30 de dezembro de 2010




"Há tempos estou pra lhe falar algumas coisas. Tudo tem ficado muito confuso, cada vez mais sinto que você me alcança menos e acho que esclarecer algumas coisas pode ajudar. Você diz que me ama, mas talvez esteja enganado. O amor compreende, e o amor só ama de verdade aquilo que o completa. Talvez você ame quem você é quando estou por perto. Talvez você ame apenas a idéia que tem de mim, e isso não sou eu. Isso é você querendo que eu caiba nos seus anseios, nos seus desejos."


li e pensei em uma grande amiga, esse aqui é pra ela.
Adrielle s2

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Fique




Te vi passar e perguntei de onde vem essa paz que tu carregas...

Te vi passar e me apaixonei.

Dormi pensando em você, depois daquela noite meu caro, acordei e dormi pensando não só em você, mas em nós.

Custou pra te deixar sem te dar aquele arranca saudade, custou mais ainda não poder voltar.

Te tenho como sorte, como sinonimo de amor.

Mas não é pra tanto, eu voltei. Voltei pra te dar aquele arranca saudade que só eu sei dar.

Voltei porque ouvi dizer que você andas só, sem mais aquela mala que você carregava arrastando pelas esquinas, só por carregar.

Voltei porque te esperei, voltei porque precisei te dar uma coisa que eu havia guardado...

Arrependimento por aqui, passa na casa ao lado.

Hoje, meu amado, o que eu mais quero é poder sempre te ter comigo, não como aquela velha mala, mas como você tem que ser em minha vida.

Fique, não por obrigação.

Ame não por pena.

Vá quando sentir vontade, tenho todo tempo do mundo pra planejar a sua volta.

Durma essa noite comigo, amanha cedo pode ir, se não for atrapalhar, é claro.

Tire essa blusa e essa bermuda, quero te mostra algo.

Boa noite e obrigada por ficar mais uma noite.

Ciume



Dizem que não faz bem, que dói e aperta algo aqui dentro.

Eu não sei lidar muito bem, e nem quero aprender, só de pensar minha boca perde a cor ou algo que tinha aqui.

Dizem que alguns são capazes de morrer, de matar e de sofrer.

Eu sou adepta ao sofrer.

Sofro pelo que gosto, tenho e tenho como presente.

Sofro como quem não sabe lidar com o passado.

Não aquele passado, mas com aquelas coisas de menos importância... aquele curto "namorico" que minha avó apelida assim, aquela paixão de uma semana ou mais.

Aqueles de anos, tempos, eu não me deixo sentir ciumes, me deixo entender que dele eu não necessito ter.

Não me vejo como maluca, pscicopata nem desalienada.

Me vejo amando, a ponto de sentir essa pulsação alta ao pé do ouvido, o suor gelado, e guardar pra mim.

Sou adepta a passar madrugadas acordadas pensando naquela cena que ouvi, imaginando se foi como...

Sou adepta da solidão as vezes, ela me revigora, ele me melhora.

Como agora.

A solidão me bate a janela, pedindo abrigo dessa chuva que não faz parar.

Deixo ela entrar como quem deixa um rei no seu palácio, ela já é de casa, sabe como se acomodar.

Deixo ela dançar sobre mim, a escuridão e o barulho da chuva dão o tom da musica fina que vem dela.

Boa noite...

A solidão mais uma vez me pôs pra dormir...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Do que você me causa


Pode ser clichê, antiquado e até fora de moda.
Mas as borboletas andam me visitando, com muita frequência. Elas aparecem naquela sexta monótona que você chega trazendo libidos de felicidade. Aparecem quando pela madrugada acordo e vejo você dormir e eu ter a certeza de que pelo sorriso, o seu sonho é meu. Aparecem quando seus dedos percorrem meu corpo, e como uma mensagem subliminar que só eu entendo, eu a respondo tirando aquela blusa rosa que me serve como pijama. Aparecem quando você diz que me ama do nada, quando menos espero. Aparecem quando vejo você sorrir pra mim, feliz. Aparecem quando sinto seu olhar orgulhoso e acolhedor.
Elas já fazem moradia em mim, me causam arrepios e friozinho na barriga. Esquentam nossas noites, alegram meu estado de espírito, renovam nosso laço de respeito.
Noite passada, elas não paravam quietas. Elas queriam ouvir repetidamente a sua frase de "bem vinda ao novo lar", com prazer, repeti a elas mil vezes. Elas precisam de você, porque eu preciso delas pra conseguir sentir isso... consequentemente, precisamos do seu amor, pra causar esse alvoroço que me faz a mulher mais feliz desse mundo.

24 horas


Eu não sei bem dizer até onde eu sou capaz de ir. Até onde eu sou capaz de ir sem você. Mas sei, que não aguentei o pouco tempo que fiquei longe, que fiquei vulnerável a eu mesma.
24 horas.
Tento até agora achar uma palavra que signifique tudo que passei, não achei uma se quer razão pra me arrepender de ter voltado atrás. Procurei coisas e acasos pra esquecer certas frases, certas coisas ditas na raiva, e sinceramente, não consigo.
Quero procurar essa saída, que talvez nem tenha, a saída pra não viver mil problemas e te ter como mais um deles. Você sempre foi minha solução, a paz entre a guerra que entro todos os dias. Você sempre me foi meu e nunca me deixou a duvidar disso.
Deus sabe que o que eu quis foi te proteger de mim mesma.
Sou poucas vezes vilã, e nas poucas eu magoo as pessoas demais.
Mas nessa nossa história, meu bem, não existe vilã, existe amor e saber perdoar.
Existe eu e você, e a nossa paz...
Descobri a saída, a nossa paz.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Cuida de mim


Sei que sou meio assim, meu mundo é meio desorganizado. Não se assuste, por favor! Por você amor, eu posso mudar.
Tenho muitos problemas, e poucas pessoas pra compartilhar.
Tenho muitos defeitos, e agora você pra me ensinar... Ensinar o que é a vida, o segredo da luz apagada e o som ao fundo, a diferença entre amar e amar com vontade.
Cuida de mim, cuida das minhas marcas, cuida de mim.
Não abra mão de um carinho, mesmo que seja impossível dar, não abra mão de falar, eu quero cada palavra dita, quero te gravar em mim, gravar seu nome no meu braço e se fosse possível na minha alma.
Queria poder ficar aqui e te dizer que nunca vou partir, mas posso ficar e dizer que vou partir mais volto, volto pra você, pra me renovar...
Cuida? preciso ser cuidada, sentir que sou amada.
Agora vou deitar ali, esperar ansiosa que você volte logo, deite junto e diga bem baixinho no pé do meu ouvido: te amo, boa noite.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Sinta vontade de ficar


Diz que quando eu for embora sempre vai me procurar.
Não que eu não queira, sempre eu vou te amar.
E em cada estação em que não puder estar, levo essa saudade enquanto não posso te levar.
E no fim desse sufoco, espero contar com a sorte.
Se ela existe, que só a morte possa nos separar.


Andrea Martins

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Do que te incomoda


O mundo não é feito só de pessoas ruins, nem de falsidade.
O mundo não existe só pessoas como você julga, como você diz que são, o mundo não é você.
Eu recebi um presente de Deus, e não digo por falar que ele é divino, digo porque ele me faz bem, me anima, me faz ser diferente. Recebi um presente que não troco por nada, quero cuidar, amar e ter esse presente sempre aqui.
Não é um amor incondicional de mãe, nem um amor louco e apaixonante de namorado.
É um amor fraternal, de irmão, é sinceridade em forma de amizade.
Tenho algo que me é precioso, tão precioso que anda incomodando...
Doa a quem doer, eu sou assim.
Nós somos assim..
Digo nós, por ser eu e eu. E digo eu por ver em outra pessoa como eu sou, o mesmo pensamento sobre as coisas e sobre pessoas.
Incomoda sim, eu percebo, mas não me importo...
Deixa essa gente falar...
Deixa eles pensarem, se incomodarem, deixa vai!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Two thousand and eight


Se errar for sentir isso, que os grandes poetas que são contra isso que vou afirmar me desculpe, mas eu quero viver errando.
A dor já não me era um impecílio, não era ela que vivia em mim, era eu que vivia nela, e até vivia dela, para assim continuar.
Mesmo sabendo que aquele desespero todo era moda em 73, e já sendo antiquado, eu não me importava em me descabelar assim que ele se virava e ia.
Eu não me importava em vê-la chorando por isso, mesmo não me orgulhando muito disso, mas sei que não seria de outro jeito.
Eu até lutaria contra essa vontade louca de você, mas sabendo que ia ser atoa, logo depois eu cogitaria te ver e acabar com essa luta comigo mesma.
Doía, muito!
Mas, era uma dor suportável, suportável por eu receber muito em troca dessa dor.
Eu só queria a noite, os bancos aconchegantes, o barulho do silêncio da de fora, aquela chuvinha fina, a meia luz que vem do seu radio, e o zumbido de alguma musica romântica saindo dele.
Hoje, eu só quero ter isso eternamente...

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Infinito Particular


Olha, de onde eu vim eu não aprendi o que é amor.
Olha, no meu mundo não existe desculpa, só orgulho e amor próprio.
No meu mundo, não me importo muito de magoar as pessoas, e não me dói ver ninguém chorar por eu não me preocupar.
No meu mundo, eu sou perdida, desalinhada com o que eu deveria ser, eu sou sozinha e não me importo por ser assim...
No meu mundo, a saudade não existe, o friozinho na barriga nunca senti, a paixão não aprendi a sentir.
Olha, não posso lhe dar muito, se você quiser ficar, se acomodar no meu mundo, eu só posso lhe dar atenção poucas vezes, mas te garanto que nas poucas vezes você não vai querer ir.
Só não se perca ao entrar no meu infinito particular.
No meu mundo de egoísmo, eu já me feri...
Algumas coisas ainda estão em andamento de cicatrização, outras sangram anos.
Mas, depois que alguém quis ficar, tentar mudar isso... eu descobri o que é amor. Eu ando descobrindo o que é isso e me surpreendendo com o que perdi não querendo saber o que era.
Depois que ele chegou, eu vi a importância de pedir desculpas e não ter orgulho, descobri que não posso magoar quem eu amo e achar isso uma coisa normal.
Descobri que a dois tudo fica melhor...
Senti saudades, friozinho na barriga, paixão! E confesso que não me achei uma idiota por isso.
Hoje, aprendi o que é isso, e de onde vem tanta vontade de continuar.
Hoje, nem mesmo o as minhas cicatrizes eternas me impedem de amar.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Encontro e desencontro


Gelo parou os batimentos, o som sumiu, olhos fixos, o pensamento me fugiu.
E como um passe de magica, tudo rapidamente voltou de uma vez só.
Susto, o nome disso é susto, ou pelo menos era o que eu queria que fosse.
Me permiti sorrir e até sorrir daquele jeito... ah, você sabe qual!
Deixei que meus olhos percorressem toda superfice, ignorando certas coisas, não queria estragar aquele momento...
Deixei até que minha cabeça me levasse pra longe, em algum carnaval perdido, ou algum ano novo esquecido.
Deixei o susto passar, o gelo sumir do meu corpo, e só pude te admirar passar, sorridente, com andar elegante, lindo.
Podia ter ido lá, proposto qualquer coisa que te tirasse do lado de quem eu não queria que estivesse, podia dizer aquela palavra magica que só você sabe, podia te abraçar e pedir pra vir comigo e te prometer que dessa vez ia dar tudo certo.
Podia qualquer coisa, menos deixar você passar e levar de mim o que me sobrou de você.
Viver essa vida esta sendo tão pesado, não sei por onde andar, e se devo mesmo andar pra essa direção.
Talvez diminuiria o peso se eu voltasse e te falasse o que eu quero agora, não precisa ser pra sempre, só quero agora você aqui, por um dia, por uma noite...
agora!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Papo de cozinha


Entre o som de algo fervendo no fogão, entre o barulho que a faca na sua mão faz cortando os legumes, entre o ranger da porta que o vento causa, entre algum som que vem lá de fora... Eu me encontro em uma atmosfera que não quero sair.
Você faz planos, assim como eu... diz e parece ser em um futuro tão próximo!
Êxtase de ansiedade, só isso que me permiti sentir quando ouvi a frase "mês que vem"...
Me senti de certo modo completa, sentada ali, olhando você distraído falar sobre o que poderíamos fazer, de que forma, de que modo, daqui a quanto tempo...
Cheiro de algo bom sendo feito completou minha imaginação, imaginei algo bom sendo feito no nosso canto, na nossa paz e no feliz para sempre que eu sabia que existia.
Senti o gosto do que é amar, ser amado, ter planos e ser correspondido com planos bem maiores do que se esperava.
Senti o gosto do prazer que vai ser dividir com você o resto da minha vida, e construir uma vida em cima desse papo de cozinha.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Obrigada


Eu sabia que só precisava de algumas horas e um pouco de coragem pra ligar e propor algo.
Eu tentei por varias vezes pensar em algo que me fizesse sentido, algum olhar que foi mais que uma troca de olhar, algo atrás dos olhos que me reparavam.
Achei muitas coisas que fizessem sentido. Mas o que não fazia sentido era ter sentido.
Tempo.
Só precisei disso...
A formula do que vivo hoje é tempo e paciência.
Paciência que até hoje ando exercendo, paciência pra lidar com o que passou e com aquilo que infelizmente não quer passar, sair do presente e passar de vez pro passado.
Nada que me preocupe, ando me preocupando tão pouco com as coisas pequenas...
Ando passando de amor pra amor fortificado.
Essa minha formula só eu sei como foi feita com meu suor...
Nada de arrependimentos, só tenho a agradecer a ele por ter valido a pena.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Do que ninguém precisa saber


Nunca tive muita sorte com amizades... Na verdade, nunca tive muita sorte com nada!
Me via muito mal adaptada as coisas, diferente do que eu via e achava o certo.
Já tentei milhares de Hobbes, já encontrei muitas pessoas que eu deveria ter me apaixonado, já mudei de moradia, só pra recomeçar.
Foi em uma troca de moradia que descobri o que me faltava.
Na verdade, ironicamente, também em uma troca de escola.
Eu descobri que o que eu tinha de errada, outro alguém me fez ser certa.
Eu vi alguém fascinado no que eu era,e eu gostava do que via.
Percebi que, eu podia ser certa no mundo errado dessa pessoa.
Igual, compatível, perfeito.
Quase perfeito, mas não importa...
Hoje é perfeitamente perfeito.
Sou errada em um mundo errado, que acaba sendo certo, pelo mundo ser errado.
Não precisa entender... nem eu entendo de onde vem esse sentimento.
Mas eu sei onde começou.
Uma sala estreita, um olhar, sorriso e uma carona.
Viveria tudo, só pra voltar aquele dia em que você me fez certa, adaptada pro seu mundo.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Contramão sinalizada


Passei a me acostumar com a solidão. Passei a fingir que não vejo que ando só.
Passei a deixar você ir. Talvez assim você não vá.
Hoje a solidão me parece atraente, tentador.
Vejo as pessoas, elas andam dando palpites, elas querem que eu seja como elas, que não tenha ninguém pra dar e receber amor.
Palpites, apenas isso.
Mas o que me é mais tentador do que a solidão, é essa vontade de ficar.
Sinto que eu mesma estou me empurrando para um abismo interno, pro fim do que, talvez, já tenha começado.
Não sei...
Eu já não sei se consigo fazer bem a alguma pessoa que queira estar comigo.
Eu desaprendi a amar, a amar saudável, sem machucar.
Mas hoje aprendi que não sou dona de ninguém, que podem me deixar sem ao menos me darem tchau.
E percebi que o lado de lá está me sendo mais apropriado.


" Adeus você, eu hoje vou pro lado de lá "

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Tranquilidade


Em meio ao caos, as guerras que ando vendo por ai.
Em meio a esse egoísmo extremo que tenho visto como exemplo.
Em meio a desgraça alheia e o ódio súbito por minha felicidade.
Ah, eu encontro a minha tranquilidade.
Quando eu tinha tudo pra ser como eles, eu não fui. E até me orgulho por conseguir passar pelas provações e as cobras, que me picaram, mas me mostraram que são sem veneno.
Veneno.
Cansei deles, do veneno que as pessoas soltam em um meio termo, da inveja que ronda de um passado nebuloso, longe do nosso presente.
Eu só preciso disso aqui, de tranquilidade em meio ao caos.
Ficar parada, olhando as pessoas baterem cabeça, desesperadas pra infernizar a vida dos outros.
Eu só preciso é disso aqui, de nada do que eles precisam.
A minha paz me basta.

sábado, 7 de agosto de 2010

Amor de tantas rugas


Não almejo muito.
Só quero tranquilidade e amor.
Quero olhar pro lado todo dia e me orgulhar por ter tomado as decisões certas, mesmo que o mundo gire em torno tentando me por contra essa minha decisão.
Eu quero que tudo seja reciproco, cada coisa que eu faça, eu também receba.
Quero aprender a ser gente grande, a ter contas e prestar conta a elas.
Quero brincar de casinha, mas não com nenhum boneco.
Eu quero ter coragem de tentar, perdoar e até mesmo errar.
Eu o quero, a cima de tudo.
Quero ele ali, onde meus sonhos idealizam.
Friozinho pra fazer juiz ao que eu gosto, chá de camomila, meia no pé e o seu cafuné.
Eu quero rugas de felicidade.
E quero finalizar minha vida, tendo certeza e a confirmação de que Deus me deu a melhor vida que podia ter.
A melhor vida ao lado dele...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Pós


As conversas na maioria das vezes são as mesmas, ou então, quando ha muito cansaço o silêncio toma parte de nós.
Mas, dês de quando descobri esse mundo, dês de quando aprendi amar mais você, nesse momento você nunca deixou de falar que me ama.
Isso é bom, ouvir essa frase me faz pensar que sou alguém melhor, e de fato sou alguém melhor com você comigo.
Ah meu amor, é tão bom te ter. Aqui nesse escuro eu vejo além do que a luz pode me mostrar.
Eu vejo nós, felizes.
Fazendo planos... Como vai ser nossa casa, quantos quartos mesmo?
Imaginando os nomes de nossos filhos, nossa rotina.
Eu me divirto com isso, vejo que não é só eu que penso no futuro.
Future, avenir, zukunft...
Futuro, eu quero ele mais do que qualquer coisa, e também quero viver esse presente.
Trocar tudo e todos, por esse momento aqui, o momento que não nego qualquer pedido teu, por amor.
Ah... muito amor.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Sobre a felicidade


Nada aqui mudou dês de que não pude ficar mais.
Me parece que tudo ainda é a mesma coisa de antes, menos você.
Não me olhe assim, eu não quero uma briga nem o começo dela, você mudou, mas não é uma critica.
Hoje eu tenho mais sua atenção, seu amor por completo, seu quarto branco, sua cama quente com você ao meu lado, cochichando coisas em uma imitação linda de voz de bebê.
Hoje eu tenho a noção da palavra meu. E mais ainda do nosso.
É tudo nosso meu amor... esse mundo ai fora, eu posso te dar, me dar, nos dar.
Somos assim, diferentes e completamente iguais, uma mistura completa e exata de perfeição. O que te falta eu tenho, e o que eu tenho te falta.
E, podendo até contradizer o que disse, ainda somos iguais em tantas coisas.
Não posso evitar cada sentimento e sensação que brota quando você me toca, é inevitável passar a mão pelo seu cabelo, e te puxar pro meu peito.
Tão inevitável quanto querer você aqui toda noite, do meu lado dormindo enquanto eu me orgulho de mim mesma por amar alguém tão perfeito.
Deus sabe até onde meu coração foi pra poder te ter comigo, ele também sabe que eu sempre te mereci e que eu ia te ter, demorasse o tempo que fosse, eu ia.
E eu sei que demorou, doeu, cicatrizou e hoje só tenho marcas.
Marcas de um futuro bom.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Lado verde


Era tudo muito tranquilo, o verde era o mais bonito, o céu era claro, mas ainda tinha o vestígio que o dia antes era de chuva.
Tudo era lindo, menos pra mim.
Via as pessoas passando, atarefadas, outras até cansadas... e nem prestando atenção neles eu conseguia ficar bem, bem como eu tinha que estar.
O tempo passava como passava o ano, demorado e doido.
Nos dias de chuva eu ficava em casa, nos dias de sol eu ficava em casa.
Nos dias nublados eu andava, sabia que não iria encontrar ninguém pela rua, todos com medo da chuva passar por ali.
Eu gostava da solidão que eu tinha, eu gostava de sentar em algum lugar, ver as árvores. E quando sentia o primeiro pingo, eu gostava de não sair do lugar, esperava a chuva como quem esperava Deus pra limpar a alma dos pecados.
Mas eu não tinha nenhum pecado, se é que amar demais era pecado.
Eu só queria esquecer. O que me fazia tão impotente, e isso acabava comigo.
Era tudo de um tom cinza, e não era pelo dia nublado.
Eu gostava de passar pela sua rua, era a única hora do dia que eu via as cores normais, até fortes para meus olhos desacostumados.
Eu costumava te ligar, só pro meu coração bater novamente assustado com a sua voz linda.
Eu gostava da umidez que tudo lá tinha.
Eu tirava as noites pros pesadelos com você. E o dia pra sonhar acordada com você.
Eu queria poder, tentar e conseguir.
Mas, de mim, só consegui esperar, me corroendo de saudades.
Hoje, depois de tudo já passado, isso costuma me trazer um torpor quando penso no assunto.
São as lembranças que tenho do lado verde.
E até saudades do cheiro que aquele lugar tinha, do quão tudo era marcado por nós dois.
Quando estou perto, triste, eu vou lá relembrar a minha tristeza passada, sento em frente o grande portão e relembro.
Os tempos de dor passaram, recebo a recompensa, a sua recompensa.
Eu te ganhei, e sofreria tudo novamente pra hoje poder dormir do seu lado, despreocupada, acordar e te olhar sereno, e conseguir depois de tantas magoas achar isso a melhor coisa do mundo.
Eu te amo.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Das estações que te tenho


Quem olha assim nem parece acreditar que um dia eu estive lá, sozinha e carente de emoção.
E, todos os dias contados que passam, eu aguardo para o dia de você vir, e trazer com você a motivação dessa minha espera.
Eu acho que, nesse tempo que te aguardo, devia ser assim... passar rápido, desapercebido. Pra que eu não possa sofrer de saudade.
Mesmo sendo uma saudade que eu goste de sentir, só de saber que é por você.
E, é dessa felicidade que ando propagando pros mais próximos, as histórias que eu morro de rir de lembrar, eu conto como um prémio que ganhei.
Como o tempo passa e eu nem me dou conta, já faz mais de 3 estações que eu te tenho.
Te ter em cada clima está sendo maravilhoso!
E assim espero que passe por todas as estações, e que elas se repitam e que eu e você as veja passar, mudar e agradecendo por ter essa essência que nos mantém unidos.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Future


Dizem por ai que isso não dura até a maior idade, que amor de adolescência é perda de tempo.
Que nessa idade, não tem respeito que sobreviva aos hormônios.
Eu não vejo assim.
Vejo meu futuro junto de mim, uma vida fácil de se levar, ao som de qualquer musica serena e digna desse nosso amor.
Acho digno Marisa Monte narrar minha velhice ao lado de meu amor.
Eu tenho fé.
Deus e eu sabemos que não tem como não ser assim. Pedi a Deus que escrevesse nosso futuro como eu queria... cheiro de flores do campo, seda branca em contraste da minha pele, simplicidade e amor.
Ele não me decepcionou, fez com que eu me orgulhasse de contar com ele.
Hoje onde eu olho tem azul, um tom diferente desses azuis que existem...
Vejo o azul do amor, o castanho dos olhos mais lindo que me encararam.
Eu vejo o amor de outra forma, não uma obrigação, mas sim algo natural.
Eu o vejo, e me vejo. Vejo meu amanhã e agradeço por ter conseguido te-lo, depois de tantas chances perdidas.
Como dizem, meu mundo gira em volta dele. Mas tenho que contradizer, o meu mundo não gira em torno dele, meu mundo é ele.

domingo, 18 de julho de 2010

Espelhos


Siluetas expostas a meia luz, pensamento longe, mas ao mesmo tempo deitado do meu lado.
Carinho sincronizados em minha barriga, arrepios percorrem cada centímetro que sua pele toca a minha.
É disso que eu to falando, desses momentos que me da vontade de continuar, sem parar nem um estante. Vontade de me juntar a você, me fundir em um só ser, pra não ter como estar longe.
Deitada no seu peito, olhando pro teto, vendo o que eu quero pra mim pelo resto de minha longa vida.
Espelho.
Me reparo, vejo além dos defeitos que insisto em ter, vejo eu e você, o contraste, a combinação.
O quão minhas pernas ficam bem em volta de sua cintura.
E a saudade que isso fica pelo resto da minha semana monótona.
Me faço, me desfaço. Fico e confesso que as vezes penso em ir.
Mas se vou, eu volto, por não conseguir ficar longe do ponto vital que tenho.
Aqui, a meia luz, do meu lado...
Não saio daqui mesmo, é disso que eu preciso.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Para que minha vida siga adiante


A porta está ali, esperando pela razão da minha cabeça que deveria me levar até ela.
A cama ainda está quente.
Não gosto do jeito que me olha, tom de acusação. Eu sou a mocinha, dessa vez sim, meu bem.
Frieza e calmaria.
Eu nunca estive tão calma em dar uma decisão tão grossa e amargurada. Talvez seja porque já estava concretizada, certa de que isso era algo pra chegar ao meu fim.
Meu por saber que se eu passar daquela porta branca, o meu eu vai se apagar.
"Isso passa"... tentei confortar. Até mesmo me confortar.
Afinal, passa não passa?
Já senti tantas dores, que pareciam durar meus bem vividos 70 anos nesse mundo. E, passou tão rápido, que eu nem percebi.
Isso passaria rápido, se eu tivesse mesmo dado a decisão.
Mas, algo nos olhos fundos e vermelhos, algo atrás da acusação, me fez pensar no que eu perderia com isso.
Se eu ficar vai ser ruim pra mim, ir vai ser pior ainda.
Agora, entre as tantas pessoas que passam na rua, vendo os dois em pé, se encarando.
Não tinha resposta a dizer, por eu querer as duas coisas... ir e tentar ser eu sem ele, ou ficar e ser o meu eu que só sei ser com ele.
Eu te amo, foi o que consegui falar. Foi uma resposta, um veredito.
Entrei de novo pela porta branca, dessa vez decidida a ser o que não fui, decidida a desapegar.
Fiquei, não por ser burra.
Mas por amar demais, e ser egoísta a ponto de me fazer feliz, sem pensar do que isso pode causar.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Torpor


Lá fora o verde passa como um borrão, quase desaparecido.
Essa escuridão chega a me dar medo.
O assunto é politica, nada que eu queira dar minha opinião.
Minha cabeça não esta por aqui, dentro desse carro. Ela está no ponto de partida, esperando por minha volta amanhã, pra me atormentar mais um pouco.
O escuro lá fora até me é confortável perto do torpor.
É tranquilo, suave, fácil.
Prefiro essa escuridão do que a da minha cabeça. Essa, tem graça.
E, como toda escuridão existe uma luz para salvar, iluminar.
O meu poste, a minha luz, anda longe.Não tão longe, eu ainda posso toca-la. Por pouco tempo, eu sinto que é por pouco.
A lâmpada anda fraca, me deixando em meio a escuridão.
A escuridão lá de fora tem uma lua pra confortar e clarear a noite.
Eu tenho uma lua, além do poste. Talvez a lua seja mais interessante do que a fraca luz do meu poste.
Duvido muito.
Esse poste já me foi um farol, daqueles que se vê a distancia.
A minha lua está ali pra todas outras, o meu poste não, só me ilumina.
Ainda fraca, eu a amo, e anseio por mais por ela, essa luz.
Meu poste não é nenhum satélite natural, é meu mundo.
Essa lua que tenho, hoje, me ajuda a clarear um pouco o que o poste não anda iluminando. Mas é passageiro, eu sei.
Lua, luz, lua, luz, lua, luz.
Luz, minha luz.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Recado não dado


Deve ser muito ruim mesmo, e talvez se torne pior ainda por ninguém saber disso, por você esconder isso. As vezes eu acho que eu sou a única que acompanha o seu “sofrimento” interno. E, modesta parte, eu sei lidar bem com isso. Assumo que algumas vezes eu me sinto mal sabendo dos seus sentimentos.
E quando eu me sinto mal eu procuro esquecer seus, ainda sentidos, sentimentos por quem me ama.
O pior de tudo é que a gente se da bem, somos opostamente atraídas. Em tantas diferenças, ainda conseguimos achar algo em comum, esse mesmo amor que sentimos. Você nega isso, mas você mesma se contradiz, se perde na sua própria mentira. E o que eu faço? Finjo que não vejo, que não percebo a sua curiosidade por tudo que envolve ele.
Eu conheço e entendo cada sentimento e sensação que você tem com relação a ele, afinal, eu já estive no seu lugar por um ano. Chorei, me senti mal, inferior a você, até mesmo feia. Como pode? O nome disso é sentimento de perda, ou até mesmo amor, amor sem ser mais correspondido...
Mas, do fundo do meu coração eu te desejo sorte, uma boa sorte pra encontrar alguém que tire esse sentimento de você. Que você tenha um amor maior que esse que você ainda carrega, mas já perdeu pro tempo.
Eu sei que você vai conseguir, vai encontrar. E, quem sabe quando você esvaziar seu coração e encher de um novo amor, quem sabe quando seu objetivo não for mais o mesmo que o meu, ai sim, você vai entender isso tudo que acabei de te falar, e vai sem dor e falsidade, conseguir lidar comigo.

Apostas e incertezas


É bom olhar pro lado e encontrar você.
Não sei meio o que te dizer, só sinto falta quando você não está por aqui.
Ando te procurando muito... mas, não me culpe. É meu coração que anda batendo muito por você.
E, sinceramente, isso me assusta.
Tenho que por ordem nisso, nos meus pensamentos e no limite que a minha cabeça achava que ia impor, mas desiste assim que vê o seu sorriso caloroso.
E junto do seu sorriso, me vem uma saudade absurda de passar o tempo sentada deitada no seu peito, vendo as pessoas passarem, falarem.. e não nos importar com o que elas pensam nos vendo ali.
Espero que isso passe, mas espero mais ainda que fique.
Que tome o rumo certo, ou continue no rumo errado.
Assumo, está muito conveniente sem rumo, continuaria assim... se não magoasse.
Vou ficar, e quem sabe ver no que vai dar.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Medo


Agora ele está sentado ao pé da cama.
Isso não é um bom sinal, que eu saiba...
Minhas mãos começaram a perder os sentidos, e me senti fraca, depois de anos sem sentir isso, essa fraqueza não corporal, mas algo dentro de mim, a ferida de anos atrás, pulsando, como quem quer se abrir.
O gelo veio do meu dedo do pé as minhas pálpebras, que por costume, se fecharam me fazendo fazer uma careta, a da dor.
O gelo rapidamente se fundiu, virando água, lágrimas, seja o que for, escorreu pelo canto dos meus olhos.
Rapidamente me preparei pro pior, ver você de costas calado me apavora.
Respirei, tirei as lágrimas de onde estavam... mesmo assim ele perceberia meu pavor estampado e meu nariz vermelho de choro.
"Dane-se"... pensei comigo mesma.
O abracei pelas costas como quem abraça dando um adeus.
Respirei e esperei. Ele me puxou até que seus olhos me vissem.
E, por mais estranho que seja, parecia um espelho. Eu me vendo com cara de medo.
"O que você tem? está tão calada..."
Algo em mim gritou de alegria, não sei onde, mas ouvi os gritos.
Talvez ele achasse que eu estava pensando em algo ruim para nós, por isso o silencio dele.
Não tive resposta, meu beijo falaria melhor do que minhas palavras em uma voz tremula e com falha.
E, daqui, queridos, só posso dizer que eu tive todas as certezas que eu tinha medo de não ter.
Eu me vejo todo dia nele, me realizo nas realizações dele.
Como o espelho que lhes falei... eu sou ele.


Tempo de perda


Hoje a pena me toma, por completo.
Te vejo assim, chego a sentir enjoou.
Quem acredita nessa sua cara? e no que você pronuncia?
Deus sabe quem é quem, e quais são seus intuitos.
E, não só ele, como eu, percebi que com relação a mim, são péssimos.
Tem uma beleza, mas não tem um conteúdo.
E, se ainda tem conteúdo, parte dele não me serve como agrado.
São planos de me ofender, diminuir.
Pena, volto a dizer.
Pena que você não use de minha amizade e compreensão.
Pena que você escolheu a pessoa errada pra tentar, isso que você chama de amizade(falsidade).
Pena por essa perda até hoje doer em você, por que em mim, ela não é perda e sim vitoria.
Perda de tempo.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Devaneio


Tenho duas escolhas, mas como escolher uma?
Já sei.
Cara é fico coroa é vou. Joguei a moeda para cima, e logo a tampei sem sequer ver o que teria dado. Por medo mesmo, assumo. Se desse coroa, eu deveria mesmo ir? Era só uma brincadeira boba minha, pra passar o tempo.
Mas, se fosse cara, eu deveria ficar? Sim, deveria!
Tirei minha mão de cima da moeda, dando espaço suficiente para ver qual seria o meu destino.
Que droga, coroa!
Como eu vou se quero ficar? Que idiotice eu fiz, mas, tecnicamente eu não preciso cumprir a risca o que a moeda me mandou fazer. Será que é Deus me dando um aviso de que não é mais tão recíproco?
DANE-SE, eu vou fingir que foi cara, vou ficar e ver no que vai dar.
Afinal, dês de quando uma moeda decide como eu devo fazer as coisas?
Foi só mais um tombo meu, eu apenas cai mais uma vez, e assenti... eu não preciso ir só por isso.
Fico grata por não ser uma tola e levar essa brincadeira a serio.
Mais grata ainda de não usar de uma desculpa para lhe deixar.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Nostalgia


O susto já passou. Agora, o que fica é essa sensação de que nada vai voltar pro normal.
Hoje você apareceu, escondido, mas foi bom! Tudo fica mais intenso com a adrenalina, com o desejo de tempos... enfim matado.
Achei que com a sua visita algo voltasse ao normal, pelo menos, diminuiria a dor que ando carregando. Mas não, de alguma forma estranha aumentou tanto, tanto quanto o normal.
Você se foi, levou algo de mim, que não consigo identificar, e sinceramente, nem quero pensar em algo que me falte além de você.
Agora, ficou a conturbação nos meus pensamentos.
Algo estranho, a TV está ficando embaçada!
Engano meu, agora que a lágrima caiu pude ver que era os meus olhos húmidos.
Amanhã você volta, quem sabe volte meu animo, pelo menos o tempo que você estiver aqui.
Ando precisando muito de você, de nós.
Nostalgia!
Isso, definitivamente é isso. Nada mais do que saudade de um tempo vivido, um tempo não muito longe do meu presente.
Um tempo que vou demorar pra ter novamente.
Tempo.
Ele anda passando tão devagar... vagamente pela minha ansiedade que insiste em chamar por você.
Espero, apesar de saber que não adianta esperar, e sim agir.
Tempo.
Só preciso de mais um tempo ao seu lado... ai, tudo isso aqui muda.


terça-feira, 25 de maio de 2010

Ultima chance


Senta aqui, de hoje não passa.
Me diz, se é que você tem algo a me dizer.
Vai ser só um tchau ou nem isso você me dará?
Por favor né, se for pra ir de vez, leve tudo, pra não ter a velha desculpa de que esqueceu aquela blusa.
Ou, se preferir, se ainda achar que me ama, assim como eu o amo, fique, tome um café, converse um pouco com a minha mãe na cozinha, venha cá, deite comigo! Toma, o controle hoje pode ficar com você, eu vejo qual programação você quiser, sem qualquer briga pelo controle.
E, se a ideia de ir ainda estiver em seus pensamentos, confie em mim, eu sei um jeito de tirar essa sua ideia estúpida, só me de essa noite e um pouco da manhã. Espere ficarmos sozinhos, um minuto, eu juro.
Só não podemos deixar assim, como quem nada quer. Já se foi tanto tempo, precisamos relevar, amar, refazer.
Vem cá, senta aqui, deixa eu mudar tudo, é a nossa ultima chance.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Me entrego, não nego


Como pode alguém perder você? Como pode eu ter deixado eu te perder?
Mas, voltei enquanto era tempo, enquanto meu orgulho não me tomou totalmente.
Como eu pude me manter tão fria e tão longe? se o que eu queria estava ai, com você, na verdade, você.
Hoje, faço questão de não negar o que lhe foi guardado, todos a minha volta sabem, admiram, alguns até invejam, eu percebo.
Hoje também lhe sou o que te cabe ter, alguém que ame você com seus pequenos e gigantes defeitos. E eu que me pego tendo os mesmos defeitos, e até me amo mais um pouco por parecer com você.
Eu sei, ninguém muda e nem desfaz um passado... mas posso contar uma descoberta minha?
Eu consegui isso, hoje eu não tenho um passado, passado começou a ser feito des de quando o tive novamente. Só me recordo dele, não mais de quem não me interessa.
Tanto amar, pra hoje descobrir o que eu preciso pra me manter perfeitamente viva.
É de você, minha insônia, meu aconchego, minha felicidade, minha fortaleza.
Meu amor.


segunda-feira, 10 de maio de 2010

Do que preciso te dizer




Sinto em informar que o mundo está girando, e com ele levando o nosso tempo.
Quero te lembrar que mesmo que pareça, infelizmente, você não é meu e eu não sou sua.
O tempo que nos resta é pra nos fazermos felizes, pra criar um vinculo para recordarmos, mesmo se não houver mais tanto amor. E, pra receber e dar atenção.
Mesmo que o mundo lhe der mil problemas, entre eles, do lado da solução, eu estou te esperando, esperando um tempo no seu longo e cansativo dia.
Temo bastante da hora do adeus, porque sei que chegará, já me conformei que a eternidade é coisa de contos de fadas. Temo, mas sabendo que é natural, como já disse, não somos donos de ninguém, temos vontades e desamores.
E, mesmo sabendo que a hora de ir vai chegar, mesmo sabendo que o desamor pode vir a acontecer, mesmo sabendo de tantas coisas, eu sei que isso tudo não vai mudar esse meu amor por você.
Mesmo minha boca concordando com o seu tchau, não acredite, com o tempo ela aprendeu a mentir.
Só acredite no meu amor, no que te dei de mais valor.
Acredite em quem descaradamente fingi, mas não aprendeu a te perder.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Desamor


Arrumei as malas, taquei lá as magoas, as dores, os medos e as lembranças.
Sem dó fechei.
E, sem pensar duas vezes coloquei ela no primeiro trem que passou.
Não fui junto dela, eu queria me livrar dela. Aquilo tudo que ela carregava me consumia, de tal forma, que não me deixava ser feliz.
Só me arrependi por um motivo. Não pensei em quem a achou. Não desejo o que guardei ali pra ninguém.
Pensei em procurá-la, mas estou tão bem sem ela, aquele peso, aquela mala.
Desejo boa sorte pra quem achou. A sorte que não tive. E a coragem que me faltou pra voltar atrás de desfazer aquilo tudo que estava lá, naquela mala.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Do que preciso


Vem cá e me deixa deitar um pouco no seu peito.
Me deixa também ter o direito de ouvir você falar que me ama. Ando precisando muito disso.
Não ligue pra essa minha cara de carrasca que ando carregando, é os problemas que ando tendo comigo mesma, coisa que você não entenderia.
Precisa nem dizer muita coisa, o tal eu te amo basta... junto do seu carinho.
Meu amor, se você soubesse o quanto eu luto todos os dias por você, luto numa guerra interna.
Luto contra a desconfiança, o medo e uma tal de saudade. Três contra um.
Luto, mas feliz por saber que minha recompensa vem no final de uma longa semana...
Vem cá e deita um pouco nos meu braços, quero te sentir, sentir que você é meu.
Te namorar, te olhar quando você está destraido, ou quando está concentrado em mim.
Vem cá, diz que tá tudo bem, me jure casamento, que assim fica tudo bem...


Memories


Ta tudo guardado, não mais no mesmo lugar que estava, está na memória.
O coração já não é um bom lugar pra guardar esse tipo de história.
Machucou, passou, curou.
Guardo tudo como quem guarda uma filmagem dos seus primeiros passos, até porque você foi o meu primeiro passo pro aprendizado.
Te vejo muitas vezes, e em você eu não vejo o que me foi guardado. Mas, quem liga?
Hoje te vejo como um homem, alguém que me ajudou enquanto eu precisei.
Não vejo porque voltar pra agradecer o seu tempo, o seu apoio, ou o seu exagero de amor.
Me vejo aqui, serena, agradecendo de longe. Aprendi isso, a me manter longe de quem é perigoso, quem eu sei que pode magoar meu coração. Eu vejo isso como uma qualidade, apesar de perder muitas coisas com essa minha qualidade.
Não me dói nada te ver feliz, e saber que eu não faço parte dessa felicidade.
Eu abri mão disso, uma parcela de culpa é minha.
Mas, eu sei que te dói me ver assim, feliz, e sem você fazer parte disso tudo que vivo.
Graças a ele, Deus, que eu hoje entendo tudo. Não misturo mais minhas dores com o resto das coisas que vivo. Você também me ensinou isso...
E, assim eu vou, vivendo tudo o que eu tenho pra viver, tudo que fiz tantos planos que você acompanhasse.
Como eu disse, quem liga? você e eu somos felizes assim, distantes.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Certas incertezas


Um futuro incerto é melhor do que um futuro garantido, certo. A incerteza me traz um gosto diferente a isso tudo.
Mas, de alguma forma eu sei que nesse meu futuro louco, eu vou te ter. E isso pra mim não tem nada de incerto.
Não conta pra Deus não tá? É que eu andei lendo o que ele separou para nós dois. E, aqui entre nós, achei de muito bom gosto tudo aquilo que li.
Lá dizia que íamos nos desentender algumas vezes, podendo até nos separar. Mas, no final ia acabar tudo com um bom vinho e uma linda lingerie.
Lá dizia o quanto você me amava, e me senti bem lendo. Li também algum erros que vamos cometer, e um deles, até mesmo meu, eu juro já não cometer.
Claro que não li tudo, prefiro a tal incerteza que falei no começo.
Quero ainda sim te imaginar, sem total certeza de que vá mesmo acontecer esses filmes,de nós dois, que faço todo dia antes de dormir.
Quero ainda sentir essa vontade louca de te ver no meu futuro, encostado na entrada da porta, com aquela samba canção, vindo correndo pro meu edredom pra espantar o frio.
Quero sempre te amar, e que isso esteja escrito em todos os mais lindos livros de Deus.
E, é desse meu futuro incerto, certo, que Deus deixa as pistas pra eu ser feliz.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Acredite em mim



Quando o tempo passa, a gente entende tudo que se passou.
Cada coisa sentida, cada choro, cada atitude.
Amor é assim, amar é assim. Viver de perfeição é impossível!
Quem você ama hoje, amanhã está amando outro. Quem você diz que quer perto, pode não te querer perto.
Ei, não se assuste com isso. Posso te dar uma palavra confortante:
eu, hoje, amo e também sou correspondida.
Não é preciso muito, na verdade, só é preciso ter a pessoa certa. Alguém que seja você, mas no sexo contrário, ou se for da sua opção, alguém do mesmo sexo.
Você precisa de alguém que te entenda, que pense como você, que ao menos aceite seu jeito de ser. Na verdade, você tem que achar o amor, você vai saber quando achar.
Aquele toque diferente, aquela sensação única, aquela felicidade incomparada com qualquer outra.
Você vai encontrar! Eu encontrei, como Deus não seria justo com você também?
E, quando encontrar, não seja burro de jogar essa oportunidade quase única fora. Agarre ela, não solte, mesmo se outro já estiver agarrado a ela. Tire ele, você é capaz! Porque, se for mesmo amor, só tem lugar pra um, você.






sábado, 3 de abril de 2010

Descoberta


Agora eu já sei de tudo. Deus foi perfeitamente criterioso no que traçou pra mim. Foi preciso eu te ter, te perder, pra entender que eu te amo. Não me arrependo de todas as lágrimas que derramei pra hoje poder sorrir com vontade. Quando ele traçou tudo, ele já sabia que eu ia me apaixonar na primeira olhada que te desse, tanto que me afastou de todos os tormentos que eu ainda carregava, pra me deixar sozinha pra te ver passar, com aquela cara de sono, indo pra aquela salinha apertada, que me apertou tantas noites ao teu lado. Ele também já sabia que não ia ter pra ninguém, pra nenhum tolinho que tentasse se meter entre nós dois, já sabia que ia ser só você e eu.
Mas, eu não imaginaria que seria tudo tão perfeito, tão descrito como um sonho de uma adolescente apaixonada. Sem exagero, é como o sonho de uma adolescente apaixonada.
Deus me deu você quando tudo estava escuro, acho que isso também foi parte do plano dele, ele queria que você viesse com a luz que estava faltando pra eu continuar caminhando por essa estrada longa, que com você parece tão curta.
Então, só tenho a agradecer a ele, que me trouxe você, que me trouxe a alegria que eu já não tinha a muito tempo.
Não seria de outra forma, não teria sido o que foi com outra pessoa, não seria esse sorriso que levo. Na verdade, não seria o amor.

quarta-feira, 24 de março de 2010

You will have a happy ending


Ser fiel a quem te trai
Amar e não ser amado
Ouvir e não poder falar
Acomodar-se na dor
Desejar o bem a quem só te fez mal
Falar eu te amo e não ouvir o mesmo
Querer, mas não poder
Ser usado , mas não poder usar
Perder o que você lutou pra ganhar
Chorar quando você devia rir
Desapegar querendo apegar mais
Querer ouvir um sim e escutar um talvez, quem sabe
Não ser mais bem vindo
Perder sem poder segurar
Querer um carinho e não ter.
Acredite, você vai ter um final feliz...

terça-feira, 16 de março de 2010

Rei de mim


De uns tempos pra cá não tenho conseguido me expressar bem. Minha cabeça anda conturbada, com vários pensamentos, que se formam fora de ordem. Antigamente eu tinha tudo minimamente organizado, meus afazeres, meus objetivos, minhas vontades. Mas, ele mudou tudo, desorganizou, colocou tudo de cabeça pra baixo. Não reclamo disso, é bom de mais tê-lo aqui. Não sei quando e nem onde ele conseguiu, euforicamente tirou minhas armaduras, me deixando sem reação, não me dando tempo de me pôr forte, decidida a ficar sem ele. Assim que me ganhou, eu me perdi. Me perdi nesse mundo que ele me colocou, mundo de felicidade. Me presenteou com um mundo que existia do lado de fora da armadura que eu vestia: o mundo dele.
Não vejo como me arrepender por ter baixado a guarda, de ter me despido daquele peso morto que eu usava pra me proteger. Alias, do que eu estava tentando me proteger?Dessa felicidade plena que tenho hoje?
É dessa plenitude de amor que eu me orgulho falando para os outros. Falo de amor como quem fala do melhor presente que recebeu no natal de 98. Conto com uma vontade estampada no meu semblante, das nossas histórias bem vividas.
Guardo relatos, rascunhos, até aquelas fotos desfocalizadas que ninguém nunca guarda. Tenho o costume de guardar cenas, reparo em tudo pra guardar aquele momento... Como ele dirigindo no último temporal que teve, cantando "outra vida". Guardo tudo pra poder lembrar nos tempos ruins que estão pra vir, pra poder dizer, mesmo nesse momento, que eu fui feliz e que posso continuar sendo. Guardo ele, seu melhor sorriso, seus olhares, sua cor em contraste com a minha, seus cafunes enquanto dirige...
Hoje o medo não me assombra mais com tanta frequência. As vezes ele aparece querendo me levar a paz, e me fazer vestir uma outra armadura, a da desconfiança.
Aprendi a não deixar o medo fazer o que quiser de mim, porque quando ele aparece, eu lembro das coisas que eu guardo, dos tantos "eu te amo" eu eu lutei pra ouvir.
Em mim, ele foi coroado rei, rei de mim. Foi posto em um pedestal eterno. É ele e ele, só.
Me disponho de todo os problemas do mundo quando estou com ele. Poderia viver mil anos, só pra ter um dia com ele. Viveria com satisfação, esperando o dia. E, viveria o dia com a intensidade que não tive nesses mil anos,porque tem algo mais intenso em estar com quem se ama?
Meu amor me trouxe sorte na vida, depois que o encontrei eu poderia jogar na loteria que eu ia ganhar o prémio sozinha.
Eu poderia andar no deserto e encontrar um mar.
Eu poderia encontrar um trevo de quatro folhas a cada cinco minutos.
Eu poderia pegar o metro de manhã, e ir sozinha no vagão.
Ou até mesmo encontrar uma nota de cinquenta na rua.
Além de sorte, ele me trouxe paz, a paz que me faltava.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Só por essa noite


Só por hoje, por essa noite, vamos quebrar a rotina? Vamos sair por sair, sentar em qualquer barzinho e rir dos outros. Vamos no cinema só para passar o tempo, ou só para ficar no escuro abraçados. Vamos essa noite a praia só pra ouvir o mar, beber algo bem gelado e se arrepiar com o gelado da bebida, ou pelo frio que sentimos com a brisa do mar. Então, vem pelo menos me dar um daqueles seus abraços que você me da por trás. Vamos roubar um banco? porque meu amor, nós dois podemos tudo nesse mundo. Dois apaixonados podem o que quiser, onde quiser.
Ou, podemos continuar nessa nossa rotina que eu não consigo achar rotina, essa rotina de amor, não de comodismo. Por você, eu aceito qualquer saída, qualquer resposta.
Hoje, meu amor, senti saudades do seu olhar, do seu sorriso, da sua bondade constante com as pessoas. Hoje senti falta de você por inteiro.
Hoje, só durmo satisfeita depois de ouvir o seu "eu te amo", na verdade, só de ouvir você já me satisfaz, só por essa noite.

domingo, 7 de março de 2010

Dessa verdade que carrego



Do que seria de mim, o que seria da minha vida se não fosse a sua pra me alegrar? Não sei imaginar como seria, como poderia ser. Hoje, a única saída pros meus problemas é te ver, tudo muda, meu estresse continuo some, meu humor melhora, meu semblante salta de triste para satisfeita. Por esses motivos e por muitos outros eu sei que te amo, só pelo meu olhar denunciar, ele não cansa de você, eu não canso de você.

Indiferente de quem me critique por me dedicar tanto, indiferente de não saber do meu futuro, eu sei que criticas e incertezas não mudara o que tem guardado para mim, para nós. Esta tudo traçado, o plano esta feito, a fuga desse mundo fútil vai chegar, vamos ser felizes meu amor, eu te garanto.

Vivo para você, oro todas as noites para você, sorrio sempre quando lembro de você, durmo tranqüila quando falo com você, me perco toda vez só para ter o prazer de me encontrar em você. Minha copia, meu pai, meu irmão, meu amigo, meu marido, meu amante, meu cúmplice... minha vida!

sábado, 6 de março de 2010

Dependência




Se dependesse de mim, se dependesse dos meus pensamentos e vontades... Já teria acontecido, já estaríamos felizes para sempre, como no final de um conto. Porque, de alguma maneira, quero te levar mais a frente dos meus anos, te estender na minha vida até os meus 70 e poucos.
Até porque, não tem como eu não querer isso, tudo em você me prende, me convida a ficar mais tempo. Usando as palavras de Cazuza, talvez você entenda uma das dependências que eu passei a ter por você... talvez porque, eu não viva sem seus segredos de liqüidificador.
Sei que não posso te prender, só te dar motivos pra ficar mais um pouco, dia a dia comemorar mais um dia que você ficou. Morrer de medo de te ver ir para não voltar, mas me confortar com o hoje que você me proporciona. Se não der, quem de nós vai poder falar que não deu certo? Claro que daria, deu. Entre tantos sentimentos ao mesmo tempo, vivemos essa história engraçada, linda, romântica, única.
Sinceramente, sem você não sei mais caminhar nessa estrada...



Explicação do próprio Cazuza sobre "segredos de liqüidificador": http://www.youtube.com/watch?v=GXxDIhtChXQ

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Do amor que cultivo


Assumo que no começo eu não sabia muito sobre ele e sobre a raiz que ele ia ter em mim. Apenas levava esse sentimento, e, talvez por medo de perder eu era distante e fria. Mas, um dia acordei sentindo muita falta, querendo e desejando muito só ouvir aquela linda voz, que antes eu ouvia descrente de emoção. Foi quando eu percebi, que de alguma forma, aquilo que eu não sabia muito, eu de uma noite pra outra soube que era tudo pra minha vida. E, vi a primeira raiz desse sentimento nascer em mim quando eu precisei e vi que podia ter ao meu lado quem eu queria de verdade, não por obrigação, mas por querer mesmo. Vi o quanto gostava de estar comigo, quando por medo de me perder se desculpava dos erros que eu cometia. E, me faz sentir a pessoa mais linda do mundo quando me olha com aquela cara de bobão apaixonado. Tem uma festa interna em mim quando você me cobra um beijo, ou quando me faz um carinho por trás da orelha dirigindo, e mesmo dirigindo arruma tempo para me dar aquela olhada apaixonada. A cada dia quero mais que você seja a ultima pessoa do dia que eu veja, e a primeira pessoa do dia que eu encontre... Acordar e te ver dormindo, com o rosto sereno, como de quem dormiu satisfeito com a noite anterior. Quero ter o prazer de fazer coisas cotidianas e ter responsabilidades ao lado dele, quero sempre me sentir completa por isso que sinto. Quero que esse amor que vi a raiz crescendo, fique! Fique por muito tempo, anos e mais anos. Quero sempre sentir essa ótima sensação de ser dele, só dele.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Pra toda dor, a cura


Hoje já sei onde encontrar a fonte pro meu sorriso. Descobri a mudança do meu animo e do meu humor. Descobri a fonte de qualquer felicidade que brota de dentro pra fora em minha pessoa. Indico a qualquer um de vocês um amor pra te revitalizar, reconstruir e refazer sua estrada que estava vazia de animo e luz. Indico a você, meu caro, essa felicidade plena, essa troca de sentimento, não só dar como receber isso. Indico-te a cura pra qualquer dor já tida no mundo: o amor.

Só ele, só ele, só o meu amor


Meu coração hoje perguntou por ele, perguntou por onde ele anda e porque não apareceu hoje. Eu não pude responde-lo, iria falar o que? Só pude acalmá-lo e dizer que ele viria ou ligaria... Afinal, uma hora ele irá fazer isso.
Hoje meu corpo perguntou pelo seu abraço, minha mão perguntou pela a dele, minha língua perguntou pela a língua dele. Essa distância maldita que me traz tantas perguntas para mim mesma, tantas desconfianças que me atormentam. Mas, o que seria do nosso amor se não fosse as dificuldades? Seria mais um entre tantos outros que são tão normais, tem a mesma rotina de todos os dias, se vêem e perdem o gosto do prazer de um beijo bem dado, esperado a dias. Seria só um namoro fácil que por ser tão fácil se desgastaria e viraria pó. Seria como o meu e o passado dele, seria só um relacionamento, não um amor. Essa distância que eu tanto critico, ela também me faz um bem muito grande, por ela que eu passo a semana toda pensando nele, por ela que eu me fortaleço de saudades pra matar tudo no final de semana, quando ele me rapta e tenta me entregar no dia seguinte, já planejando o próximo sequestro.
Por esses km que existem entre ele e eu que eu fico assim, com saudades, sonhando acordada com ele e querendo ligar pra ele a cada 5 minutos. Me controlo, aprendi a fazer isso...
Como estou aprendendo a lidar com isso tudo que tenho em mãos, sim queridos amigos, ele é isso tudo que tenho em minhas mãos, tudo o que preciso pra ser feliz.
Só ele, só ele, só o meu amor.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Anjo


144 horas juntos é pouco, doses de "eu te amo" 3 vezes ao dia parece pouco perto da vontade de querer ouvir isso a cada 5 segundos. Dormir juntos, abraçar e sentir o cheiro da pessoa e achar isso a melhor sensação do mundo. Deixar ele livre, ir onde quer ir, com quem quiser... sabendo que ele volta daqui a 5 minutos quando notar que estou sozinha desprotegida.
Nossos olhares conversando, sorrir com nossas piadas internas que eles contam um pro outro, e sorrir mais ainda quando as pessoas de fora tentam descobrir o porque do nosso sorriso em meio um silêncio. Mãos, pêlos, risadas, sussurros. Amor, ah, muito amor.
Onde vamos parar? eu não tento descobrir, deixo tudo na mão de quem sabe de tudo. Sei que não vivo sem você e sei mais ainda que você não vive sem estar ao meu lado. Sem ter como fugir, sem querer fugir, me acomodo no seu peito, respiro fundo e agradeço por você existir na minha vida e por cor em tudo que eu via preto e branco. Você é a prova de que anjos existem, meu bem.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Ainda há tempo


Tem dias que acordo com a cabeça em marte. Acordo querendo, de alguma forma, recomeçar a minha vida. Sou louca, não sei medir mudanças, ou sou 8 ou sou 80. Me apego fácil as pessoas, mas me desapego mais fácil ainda. Não sei guardar magoas, mas não é por isso que não as guardo, não saber não é não fazer. Minhas magoas são meu histórico, do que fui, do que sou e do que um dia vou me tornar. Digo-lhe com sinceridade: eu não seria nada sem os meu tombos.

Eu não seria nada sem um alguém que já gostei e hoje odeio só de ouvir o nome e sentir o cheiro de cigarro. Eu não seria nada sem levar uma facada pelas costas de quem eu fui leal. Eu não seria nada se não errasse pra aprender do jeito certo. Eu não seria nada se não fosse iludida por alguém.

A vida é assim, não tem como fugir, um dia o que te fazia rir pode te fazer chorar com apenas uma frase: EU NÃO TE AMO MAIS. O que a vida te tira, ela lhe devolve em dobro, seja dor ou alegria. Escute, fale, não se cale! Diga a verdade, mesmo sabendo que ela pode magoar alguém, porque não há magoa maior do que a pessoa sozinha descobrir essa verdade que não foi dita. Acredite em quem diz que te ama de verdade, ou então passe o resto da vida se condenando por não acreditar.

Cada um tem um pouco de mal e de bem, não deixe o mal tomar tudo, faça o bem multiplicar.

Ame.. ah, ame sem limites. Descubra o que você é refletido em outra pessoa.

Faça isso tudo, e não seja o que essa sociedade te impõe , tenha personalidade para ser você mesmo, sem mascaras, sem vergonha. Como disse um belo poeta desconhecido: "Só peço que sejas forte. É uma mudança nada fácil, as pessoas não entenderão que você ganhou algo que elas já perderam a muito, muito tempo. Elas vão tentar te trazer de volta, você agora é uma ovelha perdida do rebanho da mesmice! E a mesmice nesse momento sente a sua falta."